O comércio eletrônico é uma indústria gigantesca.

Somente em 2018, observamos um aumento de 23,3% nas vendas de comércio eletrônico em comparação a 2017.

Isso é enorme, mas certamente não é uma tendência nova.

Na verdade, houve uma taxa média de crescimento de 25,6% nas vendas de comércio eletrônico de 2014 a 2017.

Isso é uma prova de que, se você precisar disso, o comércio eletrônico está prosperando e já faz um tempo.

Mas também é uma indústria que está sempre mudando. É uma indústria que está mudando constantemente na tentativa de moldar a forma como as pessoas em todos os cantos do globo compram produtos.

Isso torna o futuro do comércio eletrônico emocionante, para dizer o mínimo.

Espera-se que muitas coisas grandes mudem no comércio eletrônico nos próximos anos, e estamos aqui para ajudar você a entender como será o futuro do comércio eletrônico.

Então, hoje vamos detalhar algumas das principais tendências do comércio eletrônico em 2019, discutir o que acreditamos que as mudanças mais impactantes ocorrerão nos próximos anos e dissecar por que essas mudanças podem ter ocorrido.

Há muito o que cobrir, então vamos mergulhar.

O Futuro do Comércio Eletrônico: Como o Comércio Eletrônico Mudará em 2019

O Uso do Dispositivo Móvel se Tornará Ainda Mais Importante

Quando se trata de discutir o futuro do comércio eletrônico, uma coisa é clara: haverá muito mais importância nos dispositivos moveis que os compradores usam quando fazem compras online.

Mas por que exatamente?

Bem, no passado, a maioria das empresas de comércio eletrônico construía suas experiências de compras primeiro para os computadores de mesa.

Agora é o oposto. As empresas de comércio eletrônico estão empenhadas em projetar e desenvolver seus negócios online com os usuários móveis em mente antes dos usuários de computadores.

Isso pode soar como uma mudança estranha, mas na verdade faz muito sentido, especialmente quando você considera que cerca de 45% de todas as decisões de comércio serão tomadas em dispositivos móveis até 2020.

Por uma questão de contexto, isso equivale a uma enorme receita de US $ 284 bilhões.

Mas isso é potencialmente ainda mais interessante: pesquisas descobriram que 56% dos compradores já usaram seus dispositivos móveis para pesquisar produtos enquanto estão em casa.

Isso vai contra a suposição passada que muitas pessoas fizeram, que se fixou em sites para celular sendo preparados para serem facilmente digeríveis para os consumidores que estão em movimento.

Agora, os compradores querem a experiência completa de compra em todos os dispositivos.

Mercados Emergentes Desempenham um Enorme Papel

Os mercados emergentes, como Índia, China, Brasil, Rússia e África do Sul, devem desempenhar um papel enorme no futuro do comércio eletrônico.

Isso pode não ser totalmente surpreendente, dado o recente crescimento de algumas economias dessas nações, mas vamos olhar um pouco mais.

Estima-se que cerca de 3 bilhões de potenciais compradores de mercados emergentes terão acesso à Internet até 2022. Isso é um monte de clientes em potencial.

Também é esperado que 20% de todas as vendas de varejo em 2022 sejam provenientes de compradores que atualmente residem nesses mercados emergentes. Isso é um monte de vendas em potencial.

A parte mais interessante sobre tudo isso é que muitos desses mercados são relativamente inexplorados pelas empresas de comércio eletrônico existentes no momento.

Isso significa que há um grande potencial para empresas existentes se expandirem e alcançarem novos públicos.

Isso também significa que há muitas oportunidades disponíveis para novas marcas de comércio eletrônico surgirem nesses mercados emergentes e adaptar seus serviços para públicos locais.

O Debate: Físico Versus Online

Não podemos falar sobre o futuro do comércio eletrônico sem mencionar o crescente debate, físico versus online.

Geralmente, as pessoas dentro da indústria do comércio eletrônico se enquadram em um dos dois campos neste debate.

Há aquelas pessoas que acreditam que é apenas uma questão de tempo até que as lojas físicas desapareçam em favor de uma mudança ainda maior em direção às compras online.

E há aqueles que veem as compras físicas entrando em um período de renascimento.

Nossa postura?

É inegável que o crescimento das compras online está superando em muito as vendas das lojas físicas.

Mas isso não significa que as lojas físicas ainda não sejam ativos incrivelmente valiosos para marcas de comércio eletrônico.

Em vez de funcionar como uma versão real de suas lojas online (que geralmente têm acesso a muito mais estoque), os locais de lojas físicas parecem estar mudando para oferecer experiências de compras exclusivas.

A Nike é um exemplo, que já se expandiu tanto em Nova York quanto em Xangai, com seus locais de compras experimentais novinhos em folha, ou como eles gostam de chamá-los de "Casas de Inovação".

Nas novas lojas físicas da Nike, você pode comprar produtos exclusivos, personalizar produtos com suas próprias mãos, participar de testes de condicionamento físico, experimentar produtos novos ao jogar jogos divertidos, inscrever um personal shopper e muito mais.

Estas são experiências que você simplesmente não pode obter online e percorrem um longo caminho para solidificar a lealdade à sua marca.

Você também tem o Shopify, uma gigante do comércio eletrônico, que abriu recentemente um local de varejo em Los Angeles para ajudar empreendedores atuais e aspirantes. Mais uma vez, isso ajuda os clientes novos e antigos a experimentar seus produtos e sua marca sob uma luz totalmente nova.

Em suma, experiências exclusivas são o que vemos como o futuro dos locais físicos de varejo. Estas são experiências que duram e não podem ser encontradas em outro lugar.

Vídeo Está em Ascensão

Empresas de comércio eletrônico vão precisar aprimorar suas habilidades de videografia, porque o vídeo é projetado para desempenhar um papel enorme no futuro do comércio eletrônico.

Pesquisas já descobriram que 60% dos compradores preferem assistir a um vídeo de produto do que ler uma descrição do produto quando estão comprando.

Além disso, 64% dos compradores fazem uma compra depois de assistir a vídeos sociais de marca.

Essas mudanças nos comportamentos de compra podem ser devidas à evolução de aplicativos populares de mídia social, como Facebook, Instagram e Snapchat, que enviam atualizações (pense em Instagram Stories) que priorizam o conteúdo de vídeo.

Ou, pode ser devido à grande variedade de canais do YouTube de grande sucesso que se concentram no desembalar, na revisão e na crítica de novos produtos.

Combine esses dois fatores e não é surpresa que os compradores estejam cada vez mais acostumados a consumir conteúdo de vídeo durante o processo de compra.

Você não precisa ir longe demais para ver as empresas de comércio eletrônico se adaptando a essa mudança também.

Tome como exemplo o gigante da moda ASOS - verifique qualquer listagem de produtos no site deles e você verá várias fotos, uma descrição detalhada do produto e um vídeo da passarela mostrando o produto.

Essencialmente, a ASOS fornece tudo o que um comprador precisa para encontrar um produto e tomar a decisão de comprar um produto sem sair do site.

Assim, adicionar elementos de vídeo às suas listas de produtos e incorporar vídeo à sua estratégia de marketing é obrigatório se você quiser ter sucesso com comércio eletrônico em 2019 e além.

O Futuro do Marketing de Comércio Eletrônico

As empresas de comércio eletrônico não podem ter sucesso apenas com ótimos produtos - elas precisam atrair clientes para comprá-los.

É exatamente por isso que o marketing excelente sempre será uma parte essencial do sucesso no comércio eletrônico.

Mas o marketing excelente geralmente significa adaptar-se, então, como será o futuro do marketing de comércio eletrônico? Como as marcas precisam se adaptar para garantir que elas alcancem os compradores certos pelos canais certos?

Bem, já falamos sobre o quão importante o celular será para as empresas de comércio eletrônico no futuro, e isso também é verdade quando se trata de marketing.

À medida que os compradores se familiarizam cada vez mais com a navegação e a compra em seus dispositivos móveis, é essencial que as empresas aprendam a otimizar suas campanhas de marketing para celular também.

Mas não é apenas o marketing móvel que deve aumentar em importância para as empresas de comércio eletrônico.

O marketing de conteúdo está previsto para se tornar ainda mais eficaz em captar a atenção do público, com 78% dos compradores afirmando que o conteúdo relevante aumenta sua intenção de compra.

Essencialmente, um ótimo conteúdo ajuda as marcas a convencer os clientes em potencial do valor de seus negócios, e esse é um dos maiores ganhos de marketing que as marcas podem esperar.

Personalização é a Chave Para o Sucesso

As empresas de comércio eletrônico estão constantemente aprimorando a experiência de compra de seus clientes.

Agora existem algoritmos que coletam dados sobre seus comportamentos, e eles provavelmente sabem mais sobre seus gostos do que seus amigos e familiares mais próximos.

Isso permite que as empresas garantam que suas campanhas de marketing sejam consistentemente otimizadas.

Elas estão constantemente trabalhando para mostrar os produtos que elas acreditam que você provavelmente comprará.

Mas podemos estar chegando a um ponto de ruptura.

Em toda a web, as pessoas parecem estar cansadas de saber que os algoritmos estão enviando mensagens para eles, em vez de pessoas reais, e agora estão almejando a personalização em suas experiências de compra.

Os compradores querem sentir que há alguém por trás da tela do computador que se importa com eles. Também não precisa ser nada complexo demais - pode ser tão simples quanto um e-mail personalizado, um código de desconto com curadoria ou outro.

A pesquisa apoia esse sentimento, com 41% dos compradores alegando que já mudaram de empresas que gostam devido à má personalização.

Além disso, 48% dos compradores acabam gastando mais dinheiro com uma empresa quando recebem uma experiência de compra personalizada.

Então, o que isso tudo significa?

Bem, se você é como nós, provavelmente recebeu inúmeros e-mails de empresas que recomendam produtos para você "com base em suas compras recentes".

Aqui está um cenário. Você compra um liquidificador de uma empresa de comércio eletrônico. Ótimo. Na próxima semana, você receberá um e-mail dessa mesma empresa. Assunto: “Ei, vimos que você comprou um liquidificador. Aqui estão mais alguns liquidificadores para olhar”.

É aí que os algoritmos ficam aquém.

Nós não precisamos de outro liquidificador, é claro.

Os humanos saberiam não nos enviar esse e-mail - tudo o que nos deixa é um sentimento de uma experiência de compra impessoal.

É exatamente por isso que uma parte integral do futuro do comércio eletrônico girará em torno de empresas e empreendedores que encontram maneiras de construir relacionamentos diretos com seus clientes.

E adicionar personalização às suas campanhas de marketing é uma maneira fácil de começar a criar esses relacionamentos.

Aqui estão algumas ideias para você começar:
  • Aborde seu público pelo nome sempre que você enviar campanhas de marketing por e-mail.
  • Envie-lhes seus últimos lançamentos de produtos, simplesmente porque você os valoriza como clientes. Pontos de bônus se você enviar conteúdo relacionado a compras anteriores.
  • Peça aos seus clientes feedback sobre os produtos que eles compram. Isso também ajudará você a utilizar a prova social como uma tática de marketing.
Isso é apenas arranhar a superfície. Você sabe exatamente o que ressoa melhor com seu público, por isso, não tenha medo de realizar alguns testes e ver se consegue obter sucesso.

Considerações Finais Sobre o Futuro do Comércio Eletrônico

O futuro do comércio eletrônico será, sem dúvida, cheio de mudanças e inovações para empresas e compradores.

Independentemente de você ser um empreendedor ou trabalha em uma empresa de comércio eletrônico, é importante tentar manter o controle sobre mudanças no cenário do comércio eletrônico.

Nosso melhor conselho é continuar aprendendo.

Leia artigos. Veja vídeos. Ouça os podcasts.

Tente fornecer ao consumidor o máximo de informações possível sobre o campo do comércio eletrônico. É assim que você terá vantagem sobre a concorrência.

Então, o que você acha? Você tem alguma previsão para o futuro do comércio eletrônico em 2019 e além?

Houve algo que deixamos de observar na nossa lista sobre a qual você gostaria de saber mais? Deixe-nos saber na seção de comentários abaixo!

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem