Eu estou estudando SEO faz pouco tempo, mas uma coisa ficou clara para mim nos últimos meses: SEO é muito parecido com o monoteísmo organizado.

Com isso, quero dizer que é uma comunidade insular construída em torno da doutrina vaga e aberta de uma entidade incorpórea que comunica a sua vontade através de um sistema de recompensa e punição.

Se um extraterrestre viesse a vaguear acidentalmente na blogosfera, eu não tenho absolutamente nenhuma dúvida de que ele provavelmente diria que somos todos fanáticos religiosos, e que o Google é simplesmente o nosso nome para Deus.
Se o Google Fosse Deus: Refutando a Aposta de Pascal
Sim é serio, pense nisso.

As pessoas estudam os mistérios do algoritmo de classificação do Google, com todo o escrutínio (e conjecturas) de estudiosos da igreja tentando interpretar textos religiosos. Eles fazem peregrinações a Las Vegas e San Francisco para ouvir os profetas do Google e os gênios do SEO, inovadores como Matt Cutts e Rand Fishkin, interpretarem a vontade do Google de maneira que as pessoas comuns possam entender.

Inclusive temos ido tão longe a ponto de dividir a comunidade de SEO entre pecadores e santos.

Aqueles que usam o "chapéu preto" SEO, que tomaram atalhos e se rebelaram contra a vontade do Google. Nós todos sabemos que o dia do juízo se aproxima. O Google irá lançá-los para o fundo dos rankings, onde eles vão queimar no fogo do esquecimento até o final do próprio tempo.

Então, para aqueles que usam o "chapéu branco" SEO, e que se esforçam para obedecer à vontade do Google, e que são leais ao algoritmo sagrado (e desconhecido) do Google, eles vão ascender através dos rankings de classificação e tomar o seu lugar cobiçado diretamente abaixo do logotipo do Google.

Agora, antes de retirar suas tochas e forcas e começar a me chamar de herege, permitam-me esclarecer a minha posição.

Estou dizendo que o Google é Deus? Não.

Estou tentando atacar a fé das pessoas em Deus, ou acusar a religião organizada?

Absolutamente não.

Estou simplesmente dizendo que o Google tem um monte das mesmas características que as religiões monoteístas têm tradicionalmente associado à sua deidade escolhida.

Deus é alguém que as pessoas costumam recorrer quando elas estão lutando com questões difíceis da vida. Assim também é o Google.

A mente de Deus é um repositório que contém tudo no âmbito da compreensão humana, todo o conhecimento e as informações já recolhidas pela nossa espécie. Oh, que coincidência, o Google também é assim.

Agora, parece que há uma conexão óbvia entre o bom SEO e os escritos do século 17 do filósofo religioso Blaise Pascal.

Para aqueles de vocês que não têm tempo para consultar a Wikipédia, Blaise Pascal foi um teólogo francês que moldou a fé da humanidade em Deus como uma espécie de aposta ontológica.

Pascal argumentou que as pessoas "aposta" suas vidas (e suas almas) na probabilidade da existência de Deus, decidindo como agir, comparando a probabilidade de punição eterna para os benefícios da gratificação imediata.

Para Pascal, apostar na não existência de Deus era uma situação sem saída, uma vez que a recompensa por estar correto é finita e passageira (em oposição à punição por estar errado, que é dolorosa e eterna). Em suma, Pascal acreditava que é melhor a pessoa a agir como se Deus existe, mesmo quando acredita que Deus não existe.

Agora, eu não penso muito de Pascal como teólogo. Dito isso, ele nos fornece uma oportunidade interessante de examinar a intersecção entre o monoteísmo e o search engine optimization, na medida em que, quando se trata de SEO, nós temos que rejeitar coletivamente a aposta de Pascal.

Temos que agir como se o Google não existisse, mesmo quando sabemos que ele existe.

Portanto, muito do SEO parece ser o que o Google "quer" – O Google olha para isso, o Google pune isso. O Google gosta de conteúdo que é relevante, informativo e interessante. É quase como se todo o mundo que não trabalha no Bing se reunisse e decidisse colocar o Google encarregado da gestão da internet.

Isso não parece realmente estranho?

Quando a internet se tornou o que o Google quer?

No que diz respeito a mim, o Google não existe. Quando eu escrevo um artigo, eu escrevo para o meu público-alvo. Se o Google decide que "gosta" do meu conteúdo, bem, se não, ainda valeu a pena escrevê-lo.

Eu não escrevo artigos para o Google. Eu nem sequer penso no Google quando estou escrevendo artigos. Quando eu escrevo artigos, eu estou pensando sobre como obter a resposta emocional e / ou intelectual dos meus leitores, porque eu prefiro escrever de uma forma que é interessante para mim do que despejar conteúdo genérico e inútil.

Você sabe o tipo de conteúdo que eu estou falando. Qualquer pessoa com algumas semanas de experiência em SEO geralmente pode reconhecer um guest post que foi escrito com o único propósito de adquirir um link.

Estes posts são raramente originais. Na verdade, eles são geralmente uma rearticulação de informação que já está disponível na internet.

Estes artigos muitas vezes tomam a forma de listas ("Cinco Maneiras de Melhorar Sua _________" ou "Dez maneiras de economizar dinheiro em _________"), e a maioria deles não fazem nada (além de poluir a internet).

Se você quiser construir boas relações, escrevendo artigos que atraem tráfego e obter sucesso, você tem que estar disposto a rejeitar a aposta de Pascal e agir como se o Google não existisse.

Adaptar o seu conteúdo para o que você pensa que o algoritmo de classificação do Google está procurando não vai te levar a lugar nenhum.

Se o Google quisesse que as pessoas mudasse a forma como e o que escrever para adaptar-se ao seu algoritmo de classificação, não se preocuparia de manter esse algoritmo em segredo.

Agora, para aqueles de vocês que não estão interessados ​​em rejeitar a aposta de Pascal ou ignorar a existência da Google, eu tomei a liberdade de preparar um poema para você. Tenho certeza que se você recitá-lo todas as manhãs quando você acordar e todas as noites antes de ir para a cama, o Google com certeza vai abençoar o seu link-building. Boa sorte!

Oração ao Google


Nosso Google, que és praticamente toda a internet,
Santificado seja o teu algoritmo de classificação
Teus resultados de busca vêm,
Tua vontade será feita
Nos smartphones super bacanas que nossas mães nos compraram.
Dá-nos hoje, nossos links diários,
E perdoa-nos quando fazemos spam
Assim como nós perdoamos aqueles que às vezes nos fazem spams
Não nos induza a tentação
E livrai-nos da troca de links pagos.

Amém.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem