Isso já aconteceu com você?

Você está dirigindo para o trabalho. Ou lendo um livro. Ou simplesmente caindo no sono.

E ela vem do nada como um raio.

A ideia perfeita para o seu blog. Uma ideia que os leitores vão simplesmente amar. Uma ideia que colocada aqui na terra se espalhará.

Então você animadamente rabisca-a, escreve-a e lança-a para o mundo através de seu blog.

E depois...

Nada.

Nenhuma reação. Nenhum comentário. Certamente nenhum reconhecimento de seu gênio inegável.

Apenas o som de amarantos digitais soprando através do cerrado virtual.

Você não entende o que deu errado.

É possível que a sua ideia simplesmente não fosse tão inovadora como você pensou que fosse?

Claro, é possível. Mas há outra explicação porque a sua ideia não se espalhou.

Sua escrita simplesmente não é suficientemente clara.
20 Regras Para Escrever de Forma Tão Clara Que Até Mesmo Seu Parente Mais Lerdo Vai Entender

Por que espalhar suas ideias é como tentar montar um móvel sem o manual

Alguma vez você já tentou montar móveis, sem o manual de instruções?

É praticamente impossível, certo?

Mesmo com as instruções, é difícil o suficiente.

E quando você acha que está pronto, sempre parece que há uma peça faltando - ou um pedaço sobrando – e o produto final parece que vai desmoronar a qualquer momento. (Isso supondo que você ainda teve a paciência para terminar o trabalho).

É exatamente o mesmo com as suas ideias. Deixe-me explicar.

Espalhar uma ideia significa tirá-la do seu cérebro e transmitir a outra pessoa. Isso significa unir os fatos essenciais, os argumentos lógicos e suas conclusões perspicazes exatamente no caminho certo para recriar a sua brilhante ideia na mente de seu leitor.

E aqui está a conexão:
Sua escrita é o manual de instruções para a montagem das ideias na mente do seu leitor.
Escreva de forma clara e seu modelo conceitual perfeito chega intacto. É sólido, concreto e pode ser compartilhado com outras pessoas.

Escreva de forma menos clara e torna-se uma confusão instável, faltando partes importantes, e logo se torna um projeto abandonado e esquecido.

Mas se a clareza é tão importante, o que você pode fazer como um escritor para garantir que suas ideias sobrevivam à jornada até a consciência da outra pessoa?

Como você pode escrever com tanta clareza que até mesmo o seu tio lerdo (ou tia, ou primo) entende exatamente o que você está dizendo?

20 regras inevitáveis ​​para escrever com total clareza

Felizmente, você pode seguir algumas regras simples para transformar a sua escrita confusa, em uma máquina de espalhar ideias.

Regra # 1: Use a fórmula "X e Y" para classificar os seus leitores

A escrita clara tem um público bem definido.

Escrever um post para um público específico permite atender facilmente a perguntas como:
  • O que eles já sabem e o que eles precisam que seja dito?
  • O que é interessante e relevante?
  • O que eles querem e o que eles temem?
Tente descrever o seu público com esta fórmula simples:

X e Y.

Por exemplo: "Blogueiros que querem obter mais tráfego"

Ou: "Pessoas que não têm autoconfiança"

Ou: "Artistas que estão lutando para ganhar a vida com o seu trabalho"

Certifique-se de que você tem um público claro em mente quando você escreve.

O público para este post é: "Blogueiros que querem melhorar suas habilidades de escrita"

Regra # 2: Certifique-se que o seu tema passa no teste do biscoito da sorte

Se você não consegue explicar sobre o que é o seu post em uma pequena frase simples, ele é provavelmente demasiado complexo ou fora de foco.

Mesmo os posts profundos precisam de uma premissa de fácil compreensão que poderia caber dentro de um biscoito da sorte.

Por exemplo: "Meu artigo ensina o leitor três passos para superar a procrastinação"

Ou: "Meu post usa novas pesquisas para convencer o leitor a comer menos carne vermelha"

Seu título vende a ideia de seu post para o leitor, mas se a ideia em si não é simples, você terá dificuldades para escrevê-la com clareza.

A mensagem do biscoito da sorte para este post seria: "Meu post dá aos blogueiros algumas regras simples para escrever com mais clareza"

Regra # 3: No início, ser o mais previsível possível

Certifique-se que existe uma ligação clara entre a abertura do seu post e o título. Caso contrário, o leitor vai rapidamente tornar-se distraído.

Imagine-se sentado para assistir a um filme chamado "Estação Espacial Alfa" e descobrir que a primeira cena mostrava um mago e um anão lutando contra um dragão. Você poderia se perguntar se estava assistindo ao filme certo.

Isso porque há uma desconexão entre a expectativa estabelecida pelo título e as informações fornecidas pela abertura do filme.

Os escritores muitas vezes cometem o erro de pensar que uma desconexão gera curiosidade. Eles acreditam que o leitor vai pensar: "Eu não posso esperar para descobrir como ele se conecta isso com isso!”.

Mas com muito mais frequência, uma desconexão gera confusão.

E a confusão é o inimigo da clareza.

Regra # 4: Um pouco de estresse avança um longo caminho

Escrever é uma conversa entre você e seu leitor.

No mundo real, você pode usar gestos com as mãos e uma mudança de tom para sinalizar ideias-chave.

Mas como escritor, você deve contar com outras ferramentas.

Se uma frase, sentença ou palavra é particularmente importante ou significativa, use negrito ou itálico para adicionar stress.

Mas não exagere.

Se tudo é enfatizado, nada é.

(Veja o que quero dizer).

Regra # 5: A variedade não adiciona tempero - acrescenta confusão

Sempre ser coerente com a sua terminologia.

Se o seu público é composto por pessoas que escrevem online, eles são "escritores", "blogueiros" ou "autores"? Escolha um e siga isso.

Caso contrário, o leitor não vai saber se você está tentando fazer uma distinção sutil ou simplesmente evitando usar a mesma palavra duas vezes.

Regra # 6: A repetição é boa. A repetição é boa

Se um ponto vale a pena ser mencionado, vale a pena mencioná-lo duas vezes. Ou até mesmo três vezes.

Pense: qual é a ideia mais importante para o seu leitor levar com ele quando terminar o post? Mencione-a duas vezes no corpo do artigo e procure repeti-la na conclusão. Caso contrário, ela certamente irá se perder.

Este artigo continua a repetir - e reforçar - a ideia central: a falta de clareza impede as ideias de se espalharem.

Regra # 7: As metáforas são o açúcar que ajuda a engolir o medicamento

Novos conceitos podem ser explicados por referência aos conceitos conhecidos que têm semelhanças úteis.

Metáforas podem ser usadas ​​para ajudar a fazer um ponto específico - como a metáfora (ok, símile) da montagem do móvel no início deste post.

Ou elas podem formar a base de um post inteiro, como este: 9 razões porque criar um blog popular é como promover uma incrível festa.

Ao tentar explicar um conceito difícil, pense sobre as suas principais características e deixe sua mente vagar para encontrar outros conceitos que compartilham essas características.

Regra # 8: Escreva como um paranoico, agente secreto da CIA

Ao passar informações úteis para o seu leitor, sempre trabalhar sobre a base "necessidade de saber".

Apenas diga a eles o que eles precisam saber para seguir o seu argumento. Compartilhe o mínimo que você precisa para transmitir a mensagem desejada.

Lembre-se, as pessoas não estão lendo o seu post para expandir seus conhecimentos gerais.

Eles estão lendo, porque eles querem o que você lhes prometeu no título.

Regra # 9: Liderar pelo exemplo

Exemplos claros ajudam os leitores a compreender conceitos difíceis.

Eles ajudam a tornar uma ideia concreta abstrata. Eles tornam um princípio geral, especifico.

Se você é um blogueiro de mídia social ensine seus leitores como escrever tweets altamente envolventes, não basta explicar os princípios, dê a eles alguns exemplos específicos de pessoas que estão fazendo isso muito bem.

Assim como este post dá alguns exemplos de 5 Blogueiros populares que ganham mais de US$ 100.000 Dólares por mês.

Regra # 10: Fundações concretas mantem sua escrita fundamentada

A linguagem concreta é mais clara e mais fácil de entender do que a linguagem abstrata.

Mas o que queremos dizer com "concreto"?

Linguagem concreta descreve algo detectável pelos sentidos. Algo que você pode ver, sentir, ouvir, cheirar ou saborear. Conceitos abstratos são muito mais difíceis de imaginar.

Por exemplo: "superar a procrastinação" é abstrato. Você não pode visualizar alguém superar a procrastinação.

Pelo contrário: "Marcar as tarefas de sua lista de coisas a fazer" é concreto. Você pode facilmente visualizá-la.

Torne a sua escrita concreta e a clareza irá florescer.

Regra # 11: De um modo geral, ser específico é melhor

Quando você fornece detalhes específicos em sua escrita, há menos margem para ambiguidades. É muito mais provável que seu leitor acabe com a mesma ideia na cabeça que você tem na sua.

Ser específico também exige menos esforço da parte deles - eles não precisam gastar nenhuma energia mental para preencher os espaços em branco.

Para dar um exemplo, "exercitar-se regularmente" é geral. "Faça uma caminhada rápida por pelo menos 30 minutos, três vezes por semana" é específico.

(E no caso de você estar se perguntando "exercitar-se regularmente" ainda é concreto. Podemos imaginar como isso se parece e soa, mas temos que preencher os detalhes específicos para nós mesmos - caminhar, correr, nadar e etc. Por outro lado, "compreender a importância do exercício" é abstrato).

Regra # 12: A incerteza é a inimiga da clareza

Seja firme e definitivo em sua escrita.

A clareza não tolera "talvez", "pode​​" ou "possivelmente".

Se você não pode dizer algo com certeza, talvez você não devesse estar escrevendo sobre isso.
Mas essa regra vem com uma exceção.

A imprecisão astuta pode ser utilizada em uma abertura para ser mais inclusivo. A abertura para um blog de ​​finanças pessoais pode conter o seguinte parágrafo:

Talvez você sempre sonhou em ter um iate. Ou talvez você simplesmente deseja se aposentar aos 30 anos.

Isto permite que você seja relevante para um grupo maior de pessoas. Isto inteligentemente dá a ilusão de especificidade.

Mas, uma vez dentro do corpo de sua escrita, seja firme e definitivo. A incerteza corrói a clareza.

Regra # 13: As armas podem ser assustadoras, mas as balas são suas amigas

Os escritores podem ser um pouco esnobe sobre o uso de bullet points (marcadores). Eles se sentem muito como taquigrafia preguiçosa. Não adequada escrita.

Afinal, Shakespeare não usou muitos bullet points. Nem Dickens.

Mas se você está no negócio de difundir ideias, você deve fazer amizade com o bullet points.

Os bullet points ajudam a identificar um grupo de ideias relacionadas, quebram-se uma frase densa em pedaços facilmente digeríveis e dão ao seu post variedade mais visual na página.

Na verdade, é importante lembrar. Bullet points:
  • Torna mais fácil identificar um grupo de ideias relacionadas
  • Quebra uma frase densa em pedaços facilmente digeríveis
  • Dão ao seu post variedade mais visual na página
Muito mais claro; certo?

Regra # 14: listas sem aviso prévio (como convidados sem aviso prévio) deixam as pessoas desconfortáveis

Bullet points são uma ferramenta valiosa, mas você nunca deve deixar o seu leitor cair em uma lista sem primeiro definir a cena.
  • É chocante.
  • É desajeitado.
  • Não é claro.
Veja o que eu quero dizer.

Uma frase introdutória ou subtítulo funciona melhor por que:
  • Estabelece o contexto.
  • Ele fornece uma transição suave para o primeiro ponto.
  • Ele mantém a leitura do leitor.
Os escritores claros tomam tempo para apresentar seus pontos bullet points.

Regra # 15: Nunca guarde maçãs com peras

Em uma lista, certifique-se cada ponto é reconhecidamente relacionado com os outros. Verificar se cada ponto pertencente à mesma categoria - o mesmo tipo de "coisa".

Se o título ou subtítulo promete "10 maneiras de ser mais produtivo", certificar-se de que cada ponto é um "caminho" concreto, ou seja, é uma ação que o leitor pode tomar fisicamente.

"Priorize suas tarefas diárias" é um caminho. É algo que você pode realmente fazer.

"O Facebook está sugando o seu tempo" não é um caminho; é uma razão. Na verdade, ele provavelmente pertence a um post chamado: "10 Razões porque você não está cumprindo suas metas mais importantes”.

Regra # 16: Respeite a ordem natural das coisas

Se você estivesse dando o seu leitor uma lista de passos, você ia apresentá-los na ordem em que precisava ser feito, certo? Obviamente.

Mas se os itens em sua lista não são passos, muitas vezes eles ainda têm uma ordem natural - mesmo se você não tinha uma em mente quando você escreveu.

Por exemplo, se você é um blogueiro de alimentos dando uma lista de suas refeições saudáveis ​​favoritas, faz sentido começar com o café da manhã não com o jantar.

Se você está publicando uma lista de hábitos de produtividade, comece com os mais fáceis e termine com os mais difíceis.

Porque, se o leitor vê um item fora de sua ordem natural, eles vão parar e se perguntar por que você não o fez de forma diferente.

Para encontrar a ordem natural da sua lista, pergunte a si mesmo se os itens existem em algum espectro, por exemplo:
  • Passado ao presente
  • Jovens aos velhos
  • Pequeno ao grande
  • Local ao global
  • Lento ao rápido
Os escritores claros respeitam a ordem natural das coisas. Eles nunca dão aos seus leitores uma razão para parar de ler.

Regra # 17: incluir sempre as pilhas

Alguma vez você comprou um brinquedo para uma criança e depois percebeu - tarde demais - que não veio com as pilhas?

O brinquedo é praticamente inútil e sem poder, por isso você tem que desistir da ideia de brincar (e lidar com uma criança perturbada) ou sair em uma caça louca às pilhas perdidas.

Da mesma forma você deve sempre fornecer tudo o que o leitor precisa para compreender totalmente os seus pontos dentro do próprio artigo.

Não confie em informações encontradas em outro lugar para fazer o trabalho para você. Sim, a internet é um recurso fantástico. Mas se você ligar para recursos externos que seu público precisa estudar, a fim de seguir o seu post, você pode perdê-los para sempre.

Escrever com clareza é autossuficiente. Link para informações complementares por todos os meios, mas não os detalhes essenciais.

Um link externo nunca deve parecer mais atraente do que ler a frase seguinte.

Regra # 18: Informe o seu leitor que o final está próximo

A escrita leva o leitor a uma viagem.

Nunca se esqueça de que a leitura de um artigo de blog é uma viagem que o seu leitor pode abandonar a qualquer momento.

Como acontece com qualquer viajante, chega um ponto onde eles querem saber quão longe eles estão do final.

Então deixe o seu leitor saber quando eles estão na reta final.

Sinalize o seu encerramento com um subtítulo final.

Ou use um parágrafo que recua a partir do último ponto que você fez e ecoa a abertura.

Este artigo faz as duas coisas.

Regra # 19: Não feche como Colombo

Lembre-se do famoso bordão de Colombo "Só mais uma coisa"

Muitos escritores acham difícil resistir a colocar "só mais uma coisa" no fechamento de seus artigos.

Um passo de bônus. Um exemplo adicional. Um último conselho.

Você acha que está sendo generoso, mas sinceramente você está sendo ganancioso. Ganancioso com o tempo do seu leitor, a sua atenção, e sua paciência.

Uma vez dentro do fechamento, o leitor vai entender que você já disse a eles tudo o que eles precisam saber. Eles elaboraram mentalmente uma linha na areia. Eles embalaram toda esta nova informação perfeitamente na cabeça deles e agora você está pedindo a eles para desembalar tudo para que você possa adicionar algo mais.

Não cometer este crime contra a claridade. As possibilidades são que você não vai se sair bem com isso.

Regra # 20: Canalize seu sargento interior

Uma última característica da escrita clara permanece.

Será que o leitor saber exatamente o que você espera que eles façam, uma vez que você terminou o seu artigo?

Se não; todos os outros esforços estão desperdiçados. Nenhuma quantidade de clareza no resto do seu artigo vai salvá-lo de um leitor deixado em dificuldades no final.

Portanto, incluir uma chamada à ação, clara. Informe ao seu leitor o que você quer que eles façam.

Torná-lo concreto. Torná-lo específico.

Melhor ainda, torná-lo o primeiro passo óbvio no caminho para conseguir o que você prometeu a eles no início do artigo.

Até mesmo gritar com eles, se for preciso.

É hora de parar de paralisar suas ideias

Vamos ser honestos; a clareza não é uma qualidade no topo da lista de desejos do escritor médio.

Poucos escritores iniciantes estiveram na frente do espelho e declararam: "Eu vou ser o escritor mais claro que o mundo já conheceu”!

Mas, sem clareza, essas outras qualidades que tornam o centro das atenções - paixão, invenção, empatia, originalidade - são inutilizados.

As pessoas não podem espalhar ideias que elas não entendem plenamente. Eles não vão ter tempo para olhar através da escrita obscura para ver as ideias que estão debaixo. Eles têm muitas outras distrações que exigem a atenção deles.

E essas ideias que muda o mundo que te acorda no meio da noite, permanecem presas em sua cabeça e fadadas ao esquecimento.

A menos que você aprender a montar ideias nas cabeças das outras pessoas.

menos que você domine a arte da clareza.

Porque a escrita clara é como ligar o seu leitor diretamente em seu tronco cerebral. As ideias fluem de você para eles, sem ruído ou distorção.

Então, dê outra olhada nas regras acima. Imprimi-las. Fixá-las para que você possa vê-las sempre que você estiver escrevendo.

Em seguida, ficar na frente do espelho e dizer: "Meu próximo post será escrito de forma mais clara ainda”.

Porque é hora de liberar suas ideias.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem